Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11690/2334
Autor(es): Benatti, Remi Maria Zanatta
Título: A mediação pedagógica enquanto estratégia de formação docente em contextos de aprendizagem na educação a distância
Palavras-chave: Mediação pedagógica;Formação docente;Ensino EAD na modalidade híbrida
Data do documento: 2021
Editor: Universidade La Salle
Citação: BENATTI, R. M. Z. A mediação pedagógica enquanto estratégia de formação docente em contextos de aprendizagem na educação a distância. 2021. 162 f. Dissertação (mestrado em Educação) – Universidade La Salle, Canoas, 2021. Disponível em: http://hdl.handle.net/11690/2334. Acesso em: 05 jan. 2022
Resumo: O foco da pesquisa reside na investigação sobre a importância da mediação pedagógica como uma estratégia na formação docente de estudantes do curso de Licenciatura em Pedagogia na modalidade de Educação a Distância (EaD) da Universidade La Salle. A formação desses profissionais prima pelas competências técnicas, mas também pelo desenvolvimento da autonomia, provocando reflexões sobre as demandas que a educação deste século exige. Nessa perspectiva da mediação pedagógica, trabalhamos com o foco do protagonismo, tanto do docente quanto do estudante. Ambos convergem e constroem espaços de aprendizagem de modo colaborativo. Assim, o presente tema de dissertação insere-se na linha de pesquisa Formação de professores, teorias e práticas educativas do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade La Salle. O objetivo geral consiste em: Analisar o potencial da mediação pedagógica enquanto estratégia de formação docente em contextos de aprendizagem na EaD. Como questão de pesquisa, estabelecemos: Como os estudantes de Pedagogia da Universidade La Salle percebem o potencial da mediação pedagógica enquanto estratégia de formação docente em contextos de aprendizagem na EaD? Quanto à abordagem da pesquisa, sob o ponto de vista do problema, é qualitativa, apoiando-nos com a metodologia de estudo de caso. O instrumento de coleta consistiu em um questionário com questões abertas e fechadas, enviado a dezenove estudantes do curso de Pedagogia da Universidade La Salle de Canoas, cujos dados foram examinados à luz da Técnica de Análise de Conteúdo (BARDIN, 2016). Sobre os autores que trazem elementos para as nossas reflexões, a organização bibliográfica está dividida em três partes que dialogam e complementam a escrita: autor primário a saber, Paulo Freire, principalmente no que se refere à concepção sobre a problematização, a reflexão e a contextualização, justificando que, através desta concepção de educação, o indivíduo se constitui para a autonomia com liberdade; b) autores secundários: Lev Vygotsky, na abordagem sociointeracionista, a percepção da aprendizagem com foco na interação, além de dialogarmos também com António Nóvoa que versa sobre a formação de professores e José Moran no que se refere ao uso das tecnologias digitais e o processo de ensino e aprendizagem. c) autores terciários são os citados na busca a partir dos descritores “mediação pedagógica”; “aprendizagem híbrida”; e “formação inicial docente”. A partir da Técnica de Análise de Conteúdo foram identificadas as seguintes categorias: 1) Métodos, 2) Gestão do tempo e 3) Processo criativo. A referência a métodos aparece como algo que permite pensar e dialogar sobre o espaço formativo por diferentes perspectivas, ele sugere caminhos possíveis para o processo de formação das estudantes do curso. Já a gestão do tempo, é um fator considerado pelos respondentes como algo importante para a gestão da aprendizagem e do conhecimento, de forma a organizar o tempo e horário para cumprir a agenda acadêmica. Sobre o processo criativo, diante destes tempos acelerados, o estudante entende esta categoria aliada à categoria métodos, um fator que, além de outros aspectos, torna possível construir um espaço de aprendizagem que seja significativo. Por fim, concluímos que a metodologia baseada na mediação pedagógica é positiva, pois ela leva em consideração o contexto estudado, induz o estudante a participar e a ser protagonista da sua aprendizagem, possibilita construir diálogos em que todos são convidados a participar e, deste modo, além de potencializar a aprendizagem, potencializa a relação entre estudante, educador e conhecimento. Outro aspecto importante a ressaltar é que a aprendizagem híbrida é marcada não somente pela autoria, mas também pela coautoria da aprendizagem, tendo como marca a cooperação, aspecto que pode ser fortalecido na educação a distância.
Orientador(es): Jung, Hildegard Susana
Aparece nas coleções:Dissertação (PPGE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
rmzbenatti.pdf1.89 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.